"Se as várias estimativas que temos recebido se concretizarem, em 40 anos ficaremos sem peixe"

- Pavan Sukhdev, economista e consultor da ONU, sobre o eventual esgotamento dos recursos piscícolas a nível mundial, em 2050 (In Visão 20/26 Maio 2010)

domingo, 1 de fevereiro de 2009

O salva-amostras


O presente apetrecho é um daqueles que até há algum tempo achei perfeitamente dispensável e mais um daqueles itens de utilidade questionável.

Aliás, só para me tranquilizar a mim próprio, eu tinha inventando um semelhante há uns anos largos, com os mesmos propósitos salvadores de amostras, mas cujo resultado deixava bastante a desejar. Mas depois da expêriencia de ontem, fiquei francamente rendido às evidências.
Talvez pelo facto de termos abusado a durante toda a curta manhã de pesca, das amostras abundantes, devido ao facto de supostamente os peixes estarem mais fundos, esta geringonça provou que funciona e funciona bem.
Em direcção ao fundo!

Trata-se de um peso (+ ou- 300gms) que neste caso até imita uma amostra, com uma larga argola dupla na parte superior. Numa das extremidades possui um conjunto de pequenas correntes metálicas e na outra, um fio resistente para a recuperação.

Aplicação no nylon

A sua utilização é bastante simples: Quando uma amostra fica presa num obstáculo, insere-se a nossa linha de pesca na argola dupla do salva-amostras e deixa-se o apetrecho correr pelo nylon até ao local onde está presa a amostra, segurando-o pelo fio que os vai resgatar posteriormente. Pela experiência constatei que o peso é um factor extremente importante para o sucesso da acção. Daí que o impacto do salva-amostras na estrutura é muitas vezes só por si, suficiente para soltar a amostra. Se tal não acontecer basta umas sacudidelas para que se solte ou pelo menos as correntes acessórias do salva-amostras se prendam nos anzóis triplos e a tragam de regresso.

Salva!


Percebi por isso que o peso e a força do impacto amostra a resgatar são factores importantes, de tal forma que seria por isso que o que eu próprio construi, não era tão eficaz quando este.
Acho por isso que é simplesmente um item imprescindível na bagagem dum pescador de amostras e vale bem o dinheiro que custa.

A não perder!

3 comentários:

José Custódio disse...

boas amigo!!

Um «gadget» util e interessante sem duvida.

José Gomes Torres disse...

Boas Custódio!
É pena não haver um coisa semelhante para sacar as nossas plumas das árvores também, né?
Um forte abraço!
GT

junior disse...

Mas não é que até eu já havia inventado uma engenhoca dessas? Sim, querido amigos Gomes, elas funcionam e são sempre bem vindas; rsss
Um grande abraço