"Se as várias estimativas que temos recebido se concretizarem, em 40 anos ficaremos sem peixe"

- Pavan Sukhdev, economista e consultor da ONU, sobre o eventual esgotamento dos recursos piscícolas a nível mundial, em 2050 (In Visão 20/26 Maio 2010)

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Formiga Alada de 2 componentes


Aos primeiros raios de sol e após estas primeiras chuvadas de Outono que já ocorrem por todo o país, várias espécies de formigas aladas surgem a esvoaçar pelo campo. Vão proporcionar alimento a muitos animais que aproveitam o banquete há muito esperado, antes do difícil período do Inverno, em que quase não há insectos. Os peixes, nomeadamente os ciprinideos, não fogem à regra e tal como répteis, pássaros e até mamíferos, aproveitam tanto quanto podem esta breve fonte de proteínas.
É por isso a altura ideal para a pesca dos ciprinideos à pluma, com as imitações da conhecida formiga de asa ou agúdia, mas sem asas...
Aqui fica a minha versão de formiga, que como sou adepto da simplicidade, usa apenas além do anzol, dois componentes: Fio de montagem multifilar 3/0 de cor preta para corpos e uma pena de hackle, também preta.
O anzol pode ser de qualquer marca, desde que seja fino, entre os nºs 14 e 16 para mosca seca.

Depois de o prender o anzol no torno, preenche-se o corpo com fio de montagem desde o olhal até à curvatura, aproveitando a ponta do fio para fazer várias dobragens junto a esta e assim começar a dar mais volume ao futuro corpo.

Fazem-se várias voltas sobrepostas para construir o abdómen, com o objectivo de imitar o da formiga.

Coloca-se o hackle, dando uma volta com fio de montagem para segurar a ponta e aplica-se um pouco de cola de cianocrilato, para dar resistência à união.



Fazem-se quatro voltas com o hackle e prende-se novamente o extremo com o fio de montagem.



Dobram-se os pêlos do hackle para trás com os dedos para facilitar a construção da cabeça, conseguida também com várias voltas do fio.
Depois, ata-se com o nó e fixa-se com mais um pouco de cola de cianocrilato, para rematar.
Está feita a nossa formiga de asa, mas sem asas.

É exactamente por isso que as formigas caem na água, visto que perdem as asas naturalmente após algum tempo de voo…
Os barbos e as carpas e são os peixes mais gulosos por formigas e também mais interessantes para a pesca à pluma. No entanto as bogas, as percas, os escalos e bordalos e outros ainda, são também potenciais presas para a nossa simples formiga sem asas.

6 comentários:

decolando disse...

Que bela dica.
Se na sua região essa isca é boa para para barbos e carpas, aqui na minha ela é estupenda para os lambaris. Vou atar umas 8 dessa hoje.
Um grande abraço

S. Ferreira disse...

Tenho a encomenda de penas de caturra em curso. Já faltou mais...hihihihihi...

José Gomes Torres disse...

Oi junior!
Esta mosca tem a grande vantagem de ser simples de produzir e de baixo custo porque não utiliza muitos componentes.
E é muito eficaz!!!!
Abraço

José Gomes Torres disse...

Sérgio, venham de lá essas penas...
Vais ver como a "camisola" da caturra apanha peixes! :-)
Abraço.

Pedro batalha disse...

Olá J. G. Torres
Aí está uma tecnica que ainda não tive oportunidade de praticar.
Tenho visto alguns filmes de pesca à pluma ao Achigã e estou tentado a tentar.
A suavidade da caída da mosca e os ataques bruscos à superfície devem ser fantásticos.
Um dia experimentarei, obrigado pelas dicas.
Abraço

José Gomes Torres disse...

Olá Pedro!
De facto, é uma técnica extremamente interessante.
Como gosto de dizer, é uma pesca de qualidade, não de quantidade.
Embora eu pratique muitas das outras, esta considero-a o máximo de desportivismo que é possivel alcançar na pesca de lazer.
Se um dia quiser experimentar, disponha, é só combinar!
Abraço,
GT