"Se as várias estimativas que temos recebido se concretizarem, em 40 anos ficaremos sem peixe"

- Pavan Sukhdev, economista e consultor da ONU, sobre o eventual esgotamento dos recursos piscícolas a nível mundial, em 2050 (In Visão 20/26 Maio 2010)

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Arsénio na água que bebemos


É notícia recente que 4 dos 51 concelhos portugueses ultrapassaram em 2006, o limite máximo de arsénio, permitido por lei, na água das suas torneiras. Os resultados de análises foram efectuadas pelo Instituto Regulador da Água e Resíduos que tem a responsabilidade de controlar esta matéria.

Os concelhos referidos no estudo são os de Évora, Barcelos, Vila Franca de Xira e Pombal. Évora registou um incumprimento de 7,5% dos níveis máximos permitidos de arsénio na água. Logo depois, Barcelos (5%), Vila Franca de Xira (2,86%) e Pombal (1,75%).
O excesso de arsénio na água já suscitou preocupação junto da Organização Mundial de Saúde (OMS), devido aos graves problemas de saúde que pode causar, visto que há indicadores que revelam que este elemento aumenta o risco de cancro em bebés cujas mães beberam água contaminada durante a gravidez.

É caso para perguntar: Será dos barcos a motor dos pescadores desportivos que navegam nas nossas barragens?

Passando a ironia barata, nas albufeiras que abastecem as referidas regiões, não há navegação a motor nas águas de abastecimento público...

Nota negativa para quem toma conta da nossa água!

4 comentários:

Osvaldo Lucas disse...

O ultrapassar os limites de arsénio permitidos deveu-se a uma alteração legislativa recente que diminuiu de 50 para 10 microgramas/litro o teor de arsénio admissível.
Possivelmente o, apesar de tudo, ultrapassar do novo limite dever-se-á a águas captadas subterraneamente porque não acredito que hajam minerais com arsénio suficiente à superfície que alguns milhares de anos não tenham levado para zonas mais profundas na crosta. Mas isto é só uma opinião. Era necessário saber exactamente onde foram registados os valores.

Suponho que a óbvia tendência mundial de substituição de captações de água para consumo de subterrâneas para superficiais se deve à cada vez menor qualidade dos lençóis freáticos. Mas com este crescimento populacional e deficientes sistemas de tratamento de águas residuais, só mesmo nos picos das serras é que se poderão fazer captações com garantia de alguma qualidade da água...

Vide http://www.dre.pt/pdfgratisa5/2007/08/16400.pdf (Dec. lei 307 - Regime da qualidade da água para consumo humano) e http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1311632 (notícia do jornal Público - Quatro concelhos ultrapassam limites de arsénio na água)

José Gomes Torres disse...

Caro Osvaldo, a ideia principal era aproveitar para fazer uma piada sobre os barcos a motor e os efeitos da navegação na qualidade da água e não discutir os valores, simlesmente porque não são da minha competência...
Ainda assim:
1. Não é pelo facto de se ter alterado recentemente a legislação, que deixa de estar ultrapassado o limite máximo - que foi de facto ultrapassado, de acordo com esse novo limite! Isto é uma verdade inquestionável! Se foi alterado (mesmo recentemente), acredito que foi com o objectivo de salvaguardar a saúde publica.

2. Uma das origens do arsénio, comprovadamente deve-se a águas residuais do tratamento de minérios de cobre, combustão do carvão (incêndios florestais, por ex.)adubos fosfatados e detergentes regeição de resíduos, efluentes industriais de industrias de curtumes e tintas. Ou seja actividade humana, feita de forma errada e impune!!!!!
Vide em PDF a recomendação 04/2005 do IRAR em:http://www.irar.pt/presentationlayer/artigo_00.aspx?canalid=13&artigoid=197
Isto é uma recomendação do IRAR e não uma notícia de jornal!
Obrigado pela participação.

José Gomes Torres disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nuno disse...

Ola; Entendo que efectivamente existem erros e mais erros do governo que quer é ganhar com a agua o que ja ganha em tabaco, alcool, etc

Desse modo tb tenho a "cura" para o tratamento dessa agua.. basta para isso que as pessoas percebam a realidade e usem aparelhos hidro cineticos para nao so retirarem o arsenio mas como tudo o que esta mal na agua..

Note-se que o problema nao é se a agua tem arsenio, cal, acido sulfurico, cloro, coliformes fecais ou trihalometanos, o que interessa é podermos garantir no bico da torneira a qualidade dessa agua, tornando-a 100% potavel.

Estou disponivedl no seguinte endereço: pnvasconcelos@gmail.com