"Se as várias estimativas que temos recebido se concretizarem, em 40 anos ficaremos sem peixe"

- Pavan Sukhdev, economista e consultor da ONU, sobre o eventual esgotamento dos recursos piscícolas a nível mundial, em 2050 (In Visão 20/26 Maio 2010)

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Alqueva bate recorde


A albufeira do Alqueva está desde a sua entrada em operação, a bater sucessivos recordes de armazenamento de água desde o dia 2 de Janeiro, quando ultrapassou o anterior recorde de 8 de Março de 2007, ao atingir a cota 150,13, segundo dados da EDIA.
Os últimos dados relativos ao dia de ontem, 5 de Janeiro, indicavam a cota 151,37 às 20h00, ficando apenas a 63 centímetros da cota máxima prevista para a albufeira e referida no Plano de Ordenamento.
Como é sabido, os últimos centímetros da cota de qualquer albufeira, são os que de mais água necessitam para encher a represa, sendo por isso ainda imprevisível, se será este ano que o Alqueva atingirá a sua máxima capacidade, sendo factor importante também a forma como vai ser feita a gestão da água que já se encontra na albufeira.
Relativamente às restantes 55 albufeiras monitorizadas pelo Instituto da Água, de um modo geral atingiram já volumes de armazenamento que afasta dificuldades de abastecimento às populações nos meses de Verão.
A chuva forte registada em Dezembro colocou as barragens com um volume médio de armazenamento que atinge os 75%. Entre as 55 albufeiras, há 23 que apresentam disponibilidades hídricas superiores a 80%. Entre elas figura a barragem de Castelo de Bode, no rio Zêzere, que abastece 2,8 milhões de habitantes de Lisboa e de 31 concelhos vizinhos e que registava no último dia de 2009 um volume de 85% da capacidade máxima.
Prevê-se por isso que os volumes de armazenamento, pelo menos até à data, permitam assegurar o normal abastecimento das populações no próximo ano, visto que superam a média obtida nas duas últimas décadas.
(Fonte: Correio da Manhã - adaptado)

4 comentários:

Anónimo disse...

Ola amigo!

Ora ai está uma excelente noticia.
Não só o alqueva mas muitas das grandes e pequenas massas de água nacionais estavam mesmo a precisar destas chuvas para atingir bons valores de contenção.
É bom para tudo. O fornecimento de água potavel fica garantido ás populações,mais água disponivel significa mais capacidade de gerar energia assim como os agricultores agradecem para as suas regas.
E claro tambem para nós pescadores é muito bom e principalmente para os nossos amigos peixinhos.

E ai a «nossa» marateca como está de água?
Jà chegou ao WC?

Um grande abraço para vocês!

José Custódio disse...

Ola amigo!

Ora ai está uma excelente noticia.
Não só o alqueva mas muitas das grandes e pequenas massas de água nacionais estavam mesmo a precisar destas chuvas para atingir bons valores de contenção.
É bom para tudo. O fornecimento de água potavel fica garantido ás populações,mais água disponivel significa mais capacidade de gerar energia assim como os agricultores agradecem para as suas regas.
E claro tambem para nós pescadores é muito bom e principalmente para os nossos amigos peixinhos.

E ai a «nossa» marateca como está de água?
Jà chegou ao WC?

Um grande abraço para vocês!

EcoTretas disse...

A má gestão desta brincadeira do Alqueva dava, só nos primeiros dias de 2010, para pagar a energia de 3200 famílias portuguesas. Ver mais em http://ecotretas.blogspot.com/2010/01/porque-esta-o-alqueva-cheio.html

Ecotretas

José Gomes Torres disse...

Caro Custódio,
É verdade, a água faz falta e é importante para todos. E se na água existiram peixes, tanto melhor, é verdade.
Um abraço amigo

Caro EcoTretas,
Infelizmente, o que o nosso país tem mais, é precisamente má gestão.
Pelos vistos também na água do Alqueva...
Sinceramente, má gestão até me parece pretencioso...
- Acho que é mesmo... pantomineirice...
É o que se pode chamar a quem não entende nada daquilo em que manda.
Cumps.
GT