"Se as várias estimativas que temos recebido se concretizarem, em 40 anos ficaremos sem peixe"

- Pavan Sukhdev, economista e consultor da ONU, sobre o eventual esgotamento dos recursos piscícolas a nível mundial, em 2050 (In Visão 20/26 Maio 2010)

sábado, 8 de novembro de 2008

O achigã recorde do Zé Pedro...


Partilhar uma jornada de pesca com uma criança pode revelar-se uma surpresa. Em especial, porque os peixes não escolhem os anzóis...Esta história verídica passou-se em 2001, no fim de uma tarde de Julho.
- Há aqui alguém interessado em ir dar uma volta de barco?
Foi como se de repente, se ouvisse gritar que havia fogo cá em casa...
- Hehehe… - Como gosto de fazer isto... pensei para comigo.
A mãe foi preparar o lanche, porque o ar do campo abre sempre o apetite, vestir o fato de banho, calçar os ténis, procurar o livro que está a ler, etc.
O pescador mais jovem, foi preparar o colete de pesca, calçar as sandálias, procurar o boné, eventualmente debaixo da cama, junto de uma infinidade de coisas que só ele conhece a utilidade.
- Daqui a cinco minutos, na garagem! - Fui dizendo enquanto fechava a porta.
Engatei o barco no carro, enquanto chegavam os restantes passageiros e aí vamos nós.
Já no rio, como estavam bastantes pescadores de margem nas imediações, fomo-nos afastando com o motor eléctrico, que não faz ruído e aproveitando para começar a tentar enganar os achigãs mais distraídos, mesmo já ali.
Após alguns lançamentos, pesquei um, com cerca de quatrocentas gramas.
- Já cá tenho o primeiro... Disse em voz alta e tom jocoso, para espevitar o meu aprendiz.
Mas ele resmungou qualquer coisa relacionada com o fio e não ligou.
Depois de tirado do anzol, foi devolvido com cuidado à água. Mais uns lançamentos e mais um achigã, pouco maior que o primeiro.
- Dois, a zero…digo eu, em jeito de provocação.
Nada… Não responde…
Após alguns lançamentos, o jovem pescador capturou um, com cerca de meio quilo, enquanto eu lutava com outro, de cerca de um quilo. Algazarra a bordo. Dois peixes, ao mesmo tempo... Espectacular!!!
- Mãe, foto para a equipa, por favor… digo eu enquanto o Zé Pedro se colocava ao meu lado. Peixes na água, e toca a recomeçar.
- Pai, temos que ir àquelas pedras fazer uns lançamentos, diz ele.
- Claro, respondo sem hesitar.
Lancei e apercebo-me de um derivar da linha, quase imperceptível. Ferrei, mas nada.
Entretanto, o Zé Pedro lança para lá e ferra com violência. Em troca recebe um violento puxão que lhe deixa a cana apontada para a água e sem capacidade de reagir.
- Pai… paaaai... gagueja, enquanto o fio continua a sair do carreto…
- Vai ajudá-lo, depressa...diz a mãe, enquanto eu corro para a máquina fotográfica.
- Nem penses, retorqui, não vou perder a oportunidade de fazer umas fotos...
Vejo a linha a dirigir-se para a superfície, indicando que o peixe vai saltar fora de água. E aí está ele...em todo o seu esplendor... tem... mais de... dddois quilos... DOIS QUILOS... ??????
Só agora é que todos nos apercebemos do que é que o Zé Pedro tem na ponta da cana a lutar com barbatanas e dentes para se soltar... Um enorme achigã, o peixe mais desportivo, lutador e espectacular que existe.
Está instalado um motim a bordo: O miúdo grita porque acha que não está a ver bem. A mãe acha que o devo ajudar. E eu estou muito mais interessado em eternizar este momento único, não dando tréguas à máquina fotográfica.
O peixe, ora salta fora de água, ora afunda, deixando o iniciado pescador, sem pinga de sangue...
Finalmente, já cansado, aproxima-se para ser içado para o barco, pelas pequenas mãos do meu filho, que está nitidamente em estado de choque.
Já com o peixe dentro do barco, ninguém quer acreditar no que está a ver.
- Ganda Zé Pedro!!!... digo emocionado, - Vamos pesá-lo, rápido.
- Dois quilos e quinhentas gramas, meu !!! digo enquanto mostro a balança à mãe, incrédula !!
Uma foto do pescador com o peixe na balança e aí vai ele para a água, bem vivo e em condições de crescer mais uns quilos. Se não se deixar enganar por alguém que o ache mais interessante rodeado por batatas no forno. Nós, pelo contrário, consideramo-lo mais importante bem vivo e aos saltos na ponta das nossas linhas...
- Pai, agora já não me podes chamar pescador de meia-tigela...
- Tá bem, pescador de tigela inteira... Imagino os sonhos dele, nessa noite...

9 comentários:

S. Ferreira disse...

Pois...os tempos mudam.
Agora, já passa a vida a dar-te umas valentes coças!
Ahahahaah...

Um abraço,

decolando disse...

Que delicia de texto, Amigo Gomes, parabéns!!
Pesquei junto de vocês, senti as mesmas emoções das pescarias.
E parabéns ao pescador recordista.
Um grande abraço

Sérgio Carvalho disse...

eheheh

É por isso que ele não gosta de pescar...ahahah

fantásticos momentos... verseaproveitam as pausas nos estudos/ latadas para ferar mais uns


ps: o carreto ficou melhor, já ferrei umas gordas...

Jorge Bragança disse...

Eu já tinha ouvido este relato e, acreditem, que o pai estava bem babado.
.
Já agora acrescento um pequeno relato. Quando teve lugar a primeira taça do Mundo, na barragagem do Cabril, o (ainda) minorca Zé Pedro mostrou orgulhoso uma foto ao Gary Yamamoto, que a autografou, elogiou a captura e o incentivou publicando a foto noseu site.

Grande Zé Pedro.

PS: agora que já és estudante do ensino superior e que já se passaram uns anitos, NÃO ACHAS QUE JÁ É TEMPO DE BATERES ESSSE RECORDE?

Um grande abraço para o trio GT...

Anónimo disse...

Espetacular o peixe, tal como a descrição, gostei muito!
Imagino que agora já pense duas vezes antes de "espicaçar" o miúdo... eheheh
Vascorocks

José Gomes Torres disse...

Pois é amigos! Os tempos mudam!
Os pescadores de meia-tijela passam a craques e os mestres deles passam a incapazes de empatar um anzol à primeira, porque já vêem mal... Os achigãs quase desapareceram pela quantidade generalizada de grades para todos e todos se queixam...
Enfim... deixar este texto aqui para mim foi fortemente nostágico, acreditem...
Isto era perfeito, porque mudou tudo?
Obrigado pelos vossos comentários e por terem partilhado este pedacinho de felicidade comigo.
Um forte abraço a cada um.
GT

Sérgio Carvalho disse...

Pois.. infelizmente, pescar peixes acima de 2kg é bastante difícil, já não bastava serem achigãs com mau humor. A "maré" de barragens reserva tem aumentado, mas para mim não é solução.

Esperemos que o 2009 seja um bom ano para todos os amantes da verdadeira pesca desportiva...


Agora só querem carpas...ehehe ao menos essas há muitas e dão boa luta...

Leo Kutú disse...

Hno. de los anzuelos, José:
Es verdad, salir de pesca con chicos es maravilloso, y si pueden disfrutar cada momento de experiencia vivida para ir creciendo como personas,...mejor aún.
Un afectuoso sapukay.
desde Argentina

José custódio disse...

Pois é GT!!!
O tempo passa e as recordaçõe ficam! (Não és tu que estás a ficar velho)! O raio dos «putos» é que cresçem num instante.
Esse recorde qualquer dia já tem barbas está na hora de ser batido!!

Ps: Continuo a contar com voçes pró ano para as trutas!!!