"Se as várias estimativas que temos recebido se concretizarem, em 40 anos ficaremos sem peixe"

- Pavan Sukhdev, economista e consultor da ONU, sobre o eventual esgotamento dos recursos piscícolas a nível mundial, em 2050 (In Visão 20/26 Maio 2010)

domingo, 23 de novembro de 2008

A hibernação do motor do barco - Parte II

No seguimento do post anterior, iremos ainda prestar atenção à preparação dum barco para o período de descanso, bem como a outros componentes importantes do motor e da própria embarcação.

Antes de mais, é de referir que cada vez que se intervém num motor, a chave de ignição deve estar retirada, bem como o dispositivo de homem-ao-mar para que não se dê um arranque intempestivo.

Protecção interna dos cilindros
Existem líquidos no mercado (normalmente em embalagem spray), indicados para esta operação. Cada fabricante de motores apresenta o seu produto, o que não quer dizer que exista incompatibilidade entre marcas diferentes. As velas devem ser retiradas. Pelo orifício destas aplica-se o spray, seguindo as instruções do fabricante.


Depois e rodando manualmente o volante do motor, espalha-se o líquido pelo curso dos cilindros formando-se então uma película de protecção contra a corrosão, no interior destes.
Aproveite e verifique se a mistura de combustível é a correcta, verificando a cor das velas que deve ser castanha clara e se o isolador de porcelana não se encontra estalado ou partido. Os eléctrodos devem estar sem vestígios de desgaste. Aplique um pouco de óleo do motor na rosca da vela e aperte.

Lubrificação o veio do hélice
O veio do hélice deve ser lubrificado, após a retirada deste. Para tal, utilize um taco de madeira para imobilizar o hélice enquanto o desaperta.


Verifique se não existem restos de fio de pesca ou detritos no eixo e remova a massa de lubrificação antiga. Curiosamente, ao realizar esta tarefa no meu motor detectei restos de fio de pesca, que inevitavelmente iriam deteriorar o retentor do veio do hélice e permitir a saída do lubrificante da caixa do veio de transmissão. Esta avaria teria uma reparação dispendiosa e uns fins de semana sem pescar.


No veio, depois de limpar, deve-se aplicar junto ao retentor um lubrificante do género do HHS2000 - da Wurth, enquanto se roda à mão. Aplique agora massa consistente espessa e aperte a porca, utilizando o truque do taco de madeira, desta vez no lado oposto.



Bateria
A bateria é um elemento caro e que se não for cuidado deteriora-se em pouco tempo. E o Inverno é a época do ano em que mais baterias chegam ao final dos seus dias. As vulgares baterias de ácido e chumbo automotivas, devem ser guardadas com carga máxima. Antes desta carga, deve naturalmente verificar-se o nível de electrólito, se a bateria não for selada e corrigi-lo com água destilada até ao nível assinalado como máximo, se tal for necessário.
Qualquer bateria destas características deve ser submetida uma carga de manutenção de quinze a trinta minutos uma vez por mês, porque com o passar do tempo verifica-se uma descarga lenta nestes tipo de acumuladores o que dá origem ao processo de sulfatação das placas e consequentemente à sua destruição precoce.

Bom trabalho!

4 comentários:

junior disse...

Excelentes dicas, amigo Gomes.
Muitas vezes alguns minutos de trabalho economizam várias horas na oficina. Parabéns pela paciência em nos passar tais explicações.
Gostaria de aproveitar para lhe pedir para alterar o seu link para o Decolando, que está de domínio e casa novos.
Um grande abraço,
Junior

José Gomes Torres disse...

É verdade, muitas vezes só quando estamos em dificuldade é que nos lembramos que deviamos ter tratado da máquina uns tempos antes...

Abraço!

Gonçalo Borges disse...

Meu caro fiz uma pesquisa sobre manutenção de um barco de recreio e entre outros dei com os seus conselhos.
Pergunto - depois de hibernar correctamente o barco e de o gaurdar o que se deve fazer no inicio de época.Deve-se fazer alguma coisa especial tipo "desibernar" ou basta verificar niveis de oleo e carga de bateria e por o barco na água.

José Gomes Torres disse...

Caro amigo Gonçalo:
Não há nenhum procedimento específico para desibernar o motor, para além de verificar o nivel de óleo, se for um motor a 4 tempos. A única recomendação é que no primeiro arranque o deixe trabalhar uns cinco minutos ao relenti, enquanto verifica se está tudo bem, com a tampa retirada.
O objectivo fundamental é que permita uma lubrificação nas peças antes de qualquer esforço, visto que passaram algum tempo sem qualquer lubrificação.
Mais nada de especial...
Cumprimentos,
GT